Márcio Ezequiel

Deus e o Dinheiro

(Primeira parte)

“Antes te lembrarás do Senhor teu Deus, que ele é o que te dá força para adquirires riqueza; para confirmar a sua aliança, que jurou a teus pais, como se vê neste dia.” (Deuteronômio 8:18).

Esse texto bíblico nos deixa bem claro que, a aquisição de bens materiais, para a vida dos seus servos, a fonte primaria é o próprio Deus.

Quando observamos os princípios, estabelecidos por Deus no tocante a nos relacionarmos com o dinheiro; seremos bem sucedidos nesse relacionamento:  “O que trabalha com mão displicente empobrece, mas a mão dos diligentes enriquece.” (Provérbios 10:4).

O dinheiro, aparece no Antigo Testamento, no Novo Testamento e na história da igreja, o que nos mostra uma antiga relação entre Teologia e Economia. Existem assuntos sobre os quais a Igreja gostaria de ter mais informações e a Bíblia se cala. Porém isso não acontece com o dinheiro. As Escrituras oferece vasto conteúdo, em ambos testamentos.

O Dr. Antônio Carlos Barrros escreveu que a Bíblia é cuidadosa no ensino sobre o dinheiro, pois ela o menciona 2.085 vezes. O especialista em finanças a luz da Bíblia Ivonildo Teixeira diz que: apenas no Antigo Testamento, o assunto sobre dinheiro aparece cerca de duas mil e noventa e cinco vezes. Loren Conninghan e Janice Rogers no seu livro fé e finanças vão além: dizem que a há na Bíblia 3.225 referências a questões financeiras.

O Dr. Augusto Cury no seu livro Pais Inteligentes Formam Sucessores, não Herdeiros, diz que: o dinheiro é traiçoeiro, se você não o respeitar, não o levar a sério e não souber administra-lo, você pagará um alto preço por isso.

Deus deseja nos orientar através de sua maravilhosa Palavra, vivermos uma vida equilibrada financeiramente para:

1) termos nossas necessidades supridas “O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:19);

2) suprir as necessidades dos irmãos em Cristo: “Portanto, enquanto temos oportunidade, façamos o bem a todos, especialmente os da família da fé. (Galatas 6:10);

3) suprir as necessidades da obra de Deus: “Honra ao Senhor com os teus bens, e com as primícias de toda a tua renda. (Provérbios 3:9).

Aprenda com a Bíblia a administrar as suas finanças, e você experimentará um tempo de abundância financeira. Deus deseja isso a seus servos:

“O Senhor seja engrandecido! Ele tem prazer na prosperidade do seu servo”. (Salmo 35:27). Eu desejo profeticamente para a sua vida e a sua família, o que está escrito em Isaías 1:19: “Se quiserdes e me ouvires, comereis o melhor dessa terra”.

Fonte: Cedo Venho/Pr. Márcio Ezequiel – 15/04/2018 – 00:00

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Fechar