DestaqueIntolerância ReligiosaNotícias

Cristãs são presas por tentativa de conversão forçada no Nepal

Segundo Portas Abertas, o país é o 33º na Classificação a Perseguição Religiosa 2018

Quatro mulheres cristãs foram presas no início desta semana no Nepal, suspeitas de tentarem converter pessoas ao cristianismo à força, de acordo com o site de notícias Asia News. As mulheres – duas japonesas – foram acusadas por moradores de proselitismo. Elas foram seguidas e filmadas, e o conteúdo passado para a polícia, que realizou as prisões. Conversões religiosas e o “ferimento ao sentimento religioso” são infrações penais no Nepal.

Sajan K. George, presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos, disse ao site que: “A Constituição define o Nepal como uma república democrática e secular, esta definição de ‘secular’ parece proteger o hinduísmo. Houve muitos incidentes contra cristãos no Nepal, onde estrangeiros foram deportados acusados de conversões forçadas. Parece que a administração está ansiosa para deter cristãos e parar a fé cristã”.

As prisões ocorreram no domingo (4), em Butwal, área próxima à capital Catmandu. Foram presas Yasura Owa, de 49 anos, Makihikula, de 44, ambas japonesas, Pushpa Ghimire, de 25, e Tirthamaya Ghale, de 35, do Nepal. Elas foram acusadas de visar dalits (considerados “intocáveis” no sistema de castas indiano) e nômades. Muitos dalits têm se convertido ao cristianismo, talvez pela mensagem que todos são valorizados igualmente por Deus.

Pedidos de oração

– Ore em favor das quatro mulheres presas, que elas sejam libertadas para estarem novamente com suas famílias.
– Interceda pela mudança na lei do Nepal, para que o evangelho possa ser pregado e pessoas se convertam a Cristo.
– Peça em favor dos cristãos, que eles sejam fortalecidos no Senhor e continuem cumprindo o chamado de Deus.

Fonte: Portas Abertas  – 09 de Novembro 2018

COMENTÁRIOS  O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar