DestaqueMundo Cristão

Sem comunhão, fé de cristãos sauditas é abalada

Outro fator que dificulta o desenvolvimento da vida cristã é que no geral os árabes não têm o costume de ler

Alguns dias atrás, a Portas Abertas compartilhou a história de uma cristã ex-muçulmana da Arábia Saudita, que não pode revelar sobre sua fé e nem participar de nenhuma atividade cristã.

Hoje será contado a história de um homem saudita que teve um encontro com Cristo quando morava no exterior. Mas agora ele retornou ao seu vilarejo na Arábia Saudita. No entanto, não estava preparado para isso.

Ele não memorizou versículos bíblicos, nem canções cristãs e está a quilômetros de distância do cristão mais próximo. Ele tem que viajar cinco quilômetros para se encontrar com um irmão em Cristo. Chuck, parceiro na Península Arábica, compartilha: “Em poucos meses, eu vi a fé dele caindo. Mas claro que não sei como está seu coração, não posso julgar”.

Os cristãos na Arábia Saudita enfrentam duplo isolamento: por não se encontrarem com outros cristãos e porque a conversão secreta os transforma. “Eles acham difícil manter as mesmas amizades, pois é difícil falar sobre trivialidades ou ter conversas profundas com os antigos amigos e por isso se afastam deles e dos familiares”, explica Chuck.

Serafins Personalizados e Cia

@SerafinsPersonalizadosECia

Poucos cristãos têm a oportunidade de se reunir em pequenos grupos domésticos de 3 ou 4 pessoas. No começo, eles ficam muito felizes com isso, mas até mesmo nesses pequenos grupos, eles perdem a esperança. “Pode ser porque não se sintam confortáveis com os outros do grupo ou se, por exemplo, uma só pessoa domina a conversa.

Acredito que somente grupos de 15 a 20 pessoas têm mais potencial, pois em um grupo maior você pode encontrar alguém com que se identifique”, diz Chuck. Ele  compartilha que existem alguns desses grupos maiores na Península Arábica.

Outro fator que dificulta o desenvolvimento da vida cristã é que no geral os árabes não têm o costume de ler. É claro que há exceções, mas tradicionalmente têm uma cultura oral. “Eles aprendem por experiência e por seguir um modelo. Mas como o número de cristãos é muito pequeno, não é tão fácil encontrar um exemplo a seguir”, afirma Chuck.

Pedidos de oração

– Agradeça a Deus pelos muçulmanos que estão se convertendo. Dez anos atrás era rara a conversão de um muçulmano.
– Ore para que mais sauditas e árabes, em geral, experimentem a salvação em Cristo Jesus.
– Clame pela formação da igreja na Arábia Saudita, com comunidades maiores, formadas por famílias e pessoas de todas as idades.

Fonte:  Portas Abertas – 20 de Novembro de 2018

COMENTÁRIOS – O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar