DestaquePolítica

Damares Alves estaria sendo cogitada como ministra de Bolsonaro

Damares Alves se tornou nacionalmente conhecida como uma das combatentes da doutrinação sexual nas escolas, assim como da ideologia de gênero

A pastora Damares Alves estaria sendo cogitada para ocupar o Ministério dos Direitos Humanos no futuro governo. Na última quarta-feira, 28 de novembro, o presidente eleito afirmou que a definição sobre a situação da pasta, assim como do Ministério das Mulheres, será feita em breve.

A revista Crusoé noticiou que o nome da pastora Damares Alves, advogada e assessora parlamentar, vem sendo cogitado para ocupar a pasta dos Direitos Humanos: “Damares é um dos nomes cotados por Bolsonaro para o Ministério dos Direitos Humanos, pasta que também deverá englobar as políticas públicas para as mulheres. A indicação dela seria uma forma de contemplar o senador preterido, que não se reelegeu para o cargo”, informou o jornalista Igor Gadelha, fazendo menção a Magno Malta (PR-ES).

Consultada pelo Gospel+, a pastora recusou comentar a informação de que teria sido convidada para ocupar a posição: “Não. Eu não quero falar sobre isso. Tenho uma relação de proximidade com o presidente, tenho uma relação de proximidade com todo mundo […], e não quero falar sobre isso”, limitou-se a dizer.

Damares Alves se tornou nacionalmente conhecida como uma das combatentes da doutrinação sexual nas escolas, assim como da ideologia de gênero. Em 2014 chegou a ser agredida por manifestantes durante votação do Plano Nacional da Educação (PNE).

“Deus está chamando a igreja evangélica brasileira para um novo momento, um novo instante, e grandes desafios nos esperam […] Os desafios são de salvar essa nação do que está acontecendo. Estão detonando as nossas crianças”, alertou a pastora em 2013, durante uma palestra na Primeira Igreja Batista de Campo Grande (MS).

Bolsonaro
De acordo com a Folha de S. Paulo, o presidente eleito deve fechar questão em torno dos nomes que ocuparão o Ministério do Meio Ambiente, Minas e Energia e Trabalho até a próxima semana. Quanto ao Ministério de Direitos Humanos, que poderá absorver a pasta que cuida das políticas para mulheres, não há data para que o assunto seja encerrado.

“Isso vai ser decidido [Ministério das Mulheres], houve um apelo por parte da bancada feminina. Grande parte presente aqui. Elas querem, vocês querem, o 22º ministério, das mulheres? A gente aumenta mais um ou não?”, perguntou Bolsonaro a repórteres mulheres durante entrevista coletiva no gabinete de transição, instalado no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília (DF).

Fonte: Gospel + – 01 de Dezembro de 2018

COMENTÁRIOS – O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Fechar