Cinema e CulturaEntretenimento

Rachel Sheherazade defende união gay como modelo familiar em Twitter

“Onde houver amor, haverá família! Amo minha família. E você?”, conclui ela em sua publicação, acompanhada da seguinte imagem:

A jornalista Rachel Sheherazade, âncora do telejornal SBT Brasil, fez mais uma publicação em suas redes sociais que desagradou os seguidores que havia conquistado nos anos em que pareceu ser uma defensora de pautas conservadoras e valores judaico-cristãos considerados essenciais.

Dessa vez Sheherazade, que ganhou fama por emitir opiniões polêmicas de modo firme e conceitualmente fundamentadas, fez uma publicação sobre modelos familiares, onde consta imagens que fazem referência à união homossexual como modelo de família.

“Sei que tem gente que não vai gostar, mas eis o que eu acho sobre FAMÍLIA: família é todo grupo íntimo que garanta amor, proteção, respeito e dignidade a seus membros.”, escreveu a jornalista, revelando ter adotado a narrativa progressista que reduz o conceito de família ao mero discurso ideológico.

“Onde houver amor, haverá família! Amo minha família. E você?”, conclui ela em sua publicação, acompanhada da seguinte imagem:

A publicação de Sheherazade reflete o modelo ideológico progressista básico, que reduz o conceito de família meramente a um conceito linguístico, sintetizado pelo termo “amor”, elemento esse tão subjetivo que não há uma definição unânime para ele, além da classificada pela Bíblia no livro de João 3:16 e em 1 Coríntios 13.

Separando o conceito de família da biologia, a qual define família como sendo o resultado de um grupo de indivíduos resultantes de um parentesco comum, formada a partir da relação entre duas espécies de sexos diferentes, os progressistas abrem caminho para definir tudo que não seja fruto dessa relação como família.

Assim, não só uniões homoafetivas, mas a relação (incluindo a perversão sexual do “bestialismo”) entre um ser humano e um animal, se houver “amor”, pode ser entendida como “família”, seguindo à risca a lógica do argumento reproduzido por Rachel Sheherazade, como demonstra a própria imagem publicada por ela.

Vale ressaltar que há uma clara distinção nos casos de adoção feita por casais heterossexuais. Isso porque, se por um lado família não é só afeto e amor, ela também não é só biologia.

A afetividade compõe o lado fenomenológico do conceito de família, humano, propriamente, existencial, enquanto que a biologia seu lado estrutural, uma vez que todo ser humano que ama, e sente, é fruto de uma relação necessariamente biológica.

Assim, a adoção por casais heterossexuais segue o modelo da geração familiar biológica, onde o filho ou filha é resultante da relação entre um homem e uma mulher, havendo coerência nisso não só do ponto de vista ético, como sociológico e biológico, já que as figuras masculinas e femininas – naturalmente – exercem diferentes papeis na formação do desenvolvimento psicossocial de uma criança.

Reação de internautas

A publicação de Rachel Sheherazade dividiu opinião entre os seguidores, especialmente por muitos saberem que ela já se declarou evangélica, em 2014, durante uma entrevista para o jornal Folha de São Paulo.

Na ocasião, a própria jornalista também revelou que “era de esquerda”, mas que havia se decepcionado com o ex-presidente Lula.

“Eu era de esquerda. Pintei a cara para o Collor sair. Votei no Lula até ele ser eleito. Me decepcionei com o PT. Com a minha maturidade, passei a ter posicionamentos mais de direita do que de esquerda”, disse ela na época.

“Exatamente!!! Família é onde tem amor”, escreveu um seguidor em apoio à jornalista. “Tem gente que vive um inferno só pra mostrar que tem uma ‘família’ tradicional.”. Outro, porém, rebateu, acusando a jornalista de ter aderido ao “politicamente correto”.

“Vc só disse uma coisa certa. Vc disse: ‘é o que eu acho’. Ou seja, sua opinião pessoal. E isso não significa que vc esteja certa. E realmente vc está errada! Vc está contaminada pelo politicamente correto. Vai pela corrente da maioria. Sinto muito, mas seus conceitos equivocados sobre família e outros assuntos, não muda (sic) a verdade. Parece uma concepção bonitinha, perfeitinha e cheia de amor. Mas sua essência é má. A pior mentira é aquela que mais parece com verdade”, escreveu o seguidor.

https://noticias.gospelmais.com.br/rachel-sheherazade-%E2%80%8Fdefende-familia-gay-109348.html

Fonte: Gospel Mais – 16 de Março de 2019

COMENTÁRIOS – O conteúdo Dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar