DestaqueIgreja Perseguida

Igreja Perseguida prevalece na Península Arábica

Conheça um pouco mais do que Deus tem feito em um dos maiores redutos do islamismo, a Península Arábica

Os muçulmanos acreditam que o profeta Maomé disse que somente uma religião poderia existir na Península Arábica; assim, todas as igrejas na região devem ser destruídas. No entanto, nem mesmo os regimes mais rigorosos nem a maior pressão da sociedade podem impedir o Espírito Santo de se mover nos corações e na vida das pessoas. Espalhado por toda a Península Arábica (Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Omã, Bahrein, Kuwait, Catar e Iêmen) existe um crescente número de pequenos e informais grupos de cristãos.

Várias fontes indicam que no Kuwait o número de nacionais que se convertem a Jesus está crescendo rapidamente. Um obreiro ativo entre cristãos locais disse que até mesmo policiais, que haviam sido destacados para manter as atividades religiosas (de outras religiões que não o islamismo) sob controle, começaram a seguir a Cristo em segredo. Vários obreiros dizem que a pressão é moderada no Kuwait, desde que os cristãos não chamem a atenção em público.

De certa forma, a impressão é de que Omã é um país ainda mais religioso. Em muitas famílias muçulmanas, possessão demoníaca é algo comum e até mesmo aceitável. Os cristãos são frequentemente confrontados com pessoas que parecem possessas de alguma forma. No entanto, é no meio dessa escuridão que a luz brilha mais forte. Um cristão, que mora e trabalha em Omã, testemunha que 80% dos cristãos omanis vieram a Cristo de forma sobrenatural, através de sonhos e visões.

No Iêmen, seis de cada dez pessoas não têm comida suficiente.  Assim como uma ameaça para o corpo físico dos iemenitas, a guerra também é a maior ameaça ao corpo de Cristo no país. Apesar do cessar-fogo assinado entre o governo e os rebeldes houthis (as duas forças que lutam pelo poder no país), na Suécia, em dezembro de 2018, não parece haver muito progresso na situação real.

O país está imerso na maior crise humanitária do planeta e em guerra desde 2015. Sete milhões de pessoas estão à beira da fome e um surto de cólera causou mais de duas mil mortes, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Diante dessa situação, quase todos os estrangeiros saíram do país, deixando a pequena parte do corpo de Cristo sem um referencial para apegar-se. Apesar disso, a boa notícia é que novos líderes estão surgindo e a igreja é mais missionária do que nunca. Cada vez mais iemenitas aceitam Jesus e quase toda semana há relatos de novos convertidos se batizando. Muitos deles pediram para receber uma Bíblia.

Fome da Palavra

Você pode ser a resposta de oração dos nossos irmãos que têm que viver a fé secretamente na Península Arábica. Com uma doação, você possibilita que materiais cristãos em formato digital cheguem até eles. Isso lhes dá uma forma mais fácil e segura de ter acesso à palavra de Deus que tanto almejam. Sacie os que têm fome da palavra.

https://www.portasabertas.org.br/categoria/noticias/a-igreja-perseguida-prevalece-na-peninsula-arabica

Fonte: portasabertas – 16 de Abril de 2019

COMENTÁRIOS – O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar